História / Missão

Clique nas barras de categoria abaixo, para conhecer mais sobre o STIAM

Históriatoggle
Para defender o trabalhador explorado pela indústria da Alimentação nasceu o STIAM em 1968 -   Um breve histórico
 
A região Norte/Noroeste do Paraná foi colonizada com  base nos produtos da Alimentação. O Café e as lavouras de subsistência – milho, arroz, feijão e a criação de porcos e aves que se prestavam para a alimentação das  famílias foram a mola mestra do desenvolvimento.
 
Londrina era a Capital Mundial do Café e Maringá seguia-lhe os passos. Entre meados da década de 60 e a primeira metade da década de 70, Maringá foi titulada como o maior centro produtor de carne bovina no País.
 
Com o café prosperavam as máquinas de beneficiamento e torrefação do produto
Hoje são as duas maiores cidades do interior do Estado, Capitais de áreas metropolitanas e a largos passos se industrializam.
 
Os Governos Militares pós 1964 promoveram radical mudança. Os pés de café foram erradicados, dando lugar ao binômio soja e trigo. Foi a senha para a implantação das indústrias de óleos vegetais.
 
A Sanbra era a grande comercializadora, algodão e grãos. Foram instaladas a Cia Norpa Industrial, Mangarim e Cruzeiro de óleos vegetais. Com a industrialização e prosperidade veio a exploração, do homem pelo homem. 
 
O surgimento da Associação e do STIAM
 
 As indústrias de óleos vegetais  não respeitavam direitos trabalhistas e funcionavam em regimes de exploração da mão de obra.
 
Os interesses dos trabalhadores da categoria eram representados pelo Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Bebidas e de Óleos Vegetais de Curitiba, o setor de óleos de Maringá, e os demais setores pela Federação dos Trabalhadores na Alimentação.
 
Os meios de comunicação e de transporte com Curitiba eram precários e, como não havia representação local, muitas vezes os trabalhadores eram orientados a procurar atendimento por outros sindicatos.
 
Registre-se ainda que naqueles tempos não funcionava a Justiça do Trabalho em Maringá e os pleitos tramitavam na Justiça Estadual. Obter uma cópia da Convenção Coletiva de Trabalho era um sofrimento, um verdadeiro Deus nos acuda.
 
Liderados  por  José Lopes dos Santos, trabalhadores resolveram  fundar a Associação Profissional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Maringá, que logo em seguida seria pedido seu reconhecimento na condição de Sindicato, por decisão de Assembléia,  já que a Associação não tinha poderes legais para  negociar e firmar as Convenções.  
O pedido ficou engavetado na Delegacia do Trabalho em Curitiba já que o então presidente, José Lopes dos Santos não reunia condições legais para o exercício da direção, eis que lhe foi negado o registro em Carteira Profissional, por pessoas que lhe haviam prometido.
O pedido de reconhecimento do sindicato ficou engavetado nas prateleiras da burocracia por  longos anos.
 
Surge um novo líder: João Gabriel
Desde a fundação da Associação um jovem trabalhador da Indústria de Óleos Mangarin, João Gabriel, interessado na defesa dos interesses da categoria, tendo tido participação ativa nas greves da categoria de outubro de 1968, começava a despontar como o novo líder dos trabalhadores. 
João Gabriel buscava em Curitiba, cópias das Convenções de Trabalho e intermediava as reclamações entre os trabalhadores e o órgão que representava o setor da categoria na Capital do Estado.
 
Foi em razão deste seu trabalho que João Gabriel,  em 1972 foi chamado pela Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação, para reorganizar a Associação Profissional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Maringá  
 
Associação e o Sindicato
 
Formada a  nova diretoria da Associação Profissional, liderada por João Gabriel, até que em 1978 (em 26.11.78) – MTB 326903/76, o Reconhecimento, com a expedição da Carta Sindical do STIAM.  Foram 10 anos de luta, afinal vitoriosa. 
 
Diretorias
 
A primeira diretoria do STIAM foi eleita em  1979, presidida por João Gabriel e com a participação de uma jovem liderança, Rivail A. da Silveira que depois, em 1992, foi eleito presidente após ter sido  secretário geral e  vice-presidente por várias gestões.
 
Diretores atuais
 
A atual diretoria, com mandato até 2.017 está assim constituída:
 
Efetivos:  Presidente – Rivail Assunção da Silveira;
1º Tesoureiro – Roberto Pino de Jesus;
1º Diretor Social e de Comunicação - Antonio Lopes de Almeida Filho;
1º  Secretário – Santo Batista de Aquino;
2º Secretário – Shuzo Toma;
2º Tesoureiro -  Rubens Leme
2º Diretor Social e de Comunicação – Maria Pacheco do Amaral
 
Suplentes da Diretoria:
Maurílio Conceição ferreira, Maria Francileide Gonçalves Rodrigues, Roberto Otaviano da Silva, José Ciska G. de Oliveira e Antonio Carlos Pereira.
 
Conselho Fiscal
 
Efetivos:
Alipio Elias da Silva, Nélson Cancini e João Luiz de Lima
 
Suplentes:
Ailton José de Andrade, Élson Estevão Luiz e Donizete Vidal.
 
Delegados Representantes:
Efetivos:
Rivail Assunção da Silveira e Roberto Pino de Jesus;
 
Suplentes:
Shuzo Toma e Antonio Lopes de Almeida Filho.
 
Livro
 
O STIAM contratou um jornalista que está concluindo as pesquisas  para a edição de um livro contando todo o histórico do sindicato até os dias atuais, que será editado ano que vem.
 
Maringá, 24 de Outubro de 2.013
Rivail Assunção da Silveira, - Presidente.
Roberto Pino de Jesus, 1º Tesoureiro
Demais diretores, conselheiros e delegados representantes.
 

 

O que é o STIAM?toggle

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Açúcar, Mandioca, Carne, Avícolas, Bebidas, Alimentação Animal, Óleos e Azeites, Trigo, Laticínios, Panificados, Confeitarias, Torrefação e Moagem de Café, Massas Alimentícias  e de Alimentação de Maringá - STIAM - Entidade Sindical de primeiro grau, sem fins lucrativos, por prazo indeterminado, com sede e foro na Avenida Governador Bento Munhoz da Rocha Neto 731, Zona sete, CEP: 87030-010,  na cidade de Maringá, Estado do Paraná, Integrante do Sistema Confederativo da Representação Sindical dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação, é  devidamente  registrado junto ao Ministério do Trabalho e Emprego, Carta Sindical sob nº. L 081 P 060 A 1976 e Processo nº 326903, Pessoa Jurídica de Direito Privado, com inscrição no CNPJ/MF sob nº. 76 349 919/0001-57 e na forma estatutária e legal, congrega e representa todos os trabalhadores empregados, sócios e não sócios, enfim todos os integrantes da Categoria Profissional do 1º grupo a que refere o anexo I,  do artigo 577 da CLT, do plano da CNTA, ou seja:

Indústrias de Cerveja e Bebidas em Geral;  do Vinho;  de Águas Minerais; do Azeite e Óleos Alimentícios; de Torrefação e Moagem do Café; de Café Solúvel;  do Trigo, Milho, Soja e Mandioca;  do Arroz; da Aveia; do Açúcar;  da Refinação do Sal; de Panificação e Confeitaria; de Produtos de Cacau e Balas;  do Mate; de Laticínios  ( fabricação de queijo, iogurte, coalhada, requeijão, ricota, doce de leite, resfriamento e pasteurização, leite condensado, dietético, nata, leite fermentado com lactobacilos, creme de leite e fabricação de manteiga );  de Massas Alimentícias e Biscoitos;  de Doces e Conservas Alimentícias;  de Carnes ( abate e frigorificação de bovinos, suínos, ovinos, caprinos, eqüídeos, coelhos, lingüiças, salsichas, embutidos em geral, charque, banha, toucinho, produtos opoterápicos, óleos e graxas de origem animal, carne seca, salgada, defumada, extratos de carnes, sopas e caldos de carne, tripas e miúdos de animais); de produtos Avícolas ( abate e frigorificação de aves, embutidos em geral, produtos opoterápicos, óleos e graxas de origem animal, extratos de aves, sopas e caldos de aves, tripas e miúdos de aves); do Frio; do Fumo;  de Imunização e Tratamento de Frutas;  do Beneficiamento do Café; Alimentar de Congelados, Supercongelados, Sorvetes, Concentrados e Liofilizados;  de Rações Balanceadas; de Pesca; de Produtos Alimentares Diversos ( merenda escolar, dietéticos, adoçantes, leveduras, coalhos, fabricação de vinagre, amendoim e castanha de caju torrados e salgados, pós-alimenticios, pudins, gelatinas, refrescos, industrialização do chá, baunilha, colorau, mostarda, páprica, maionese, ovo em pó, gérmen de cereais, coco ralado, fécula de batata, enzimas para indústrias alimentares, sucos e concentrados de frutas);  de Beneficiamento e Empacotamento de Produtos Alimentares,  empregados e funcionários, mesmo terceirizados, que atuam e trabalham no ramo das empresas/indústrias da área de  Alimentação e outros, enfim de todos os trabalhadores com vínculo empregatício direto e mesmo laborando em empresas que prestam serviços como terceirizadas, nos ramos e atividades acima citadas, na base territorial dessa Entidade Sindical, compreendidas nos Municípios de: MARINGÁ (Sede), Alto Paraná, Atalaia, Astorga, ângulo, Barbosa Ferraz, Campo Mourão, Cruzeiro do Sul, Doutor Camargo, Engenheiro Beltrão, Farol, Fênix, Floraí, Floresta, Florida, Iguaraçú, Itambé, Ivatuba, Jussara, Luiziana, Mamborê, Madaguaçú, Mandaguarí, Marialva, Maringá, Nossa Senhora das Graças, Nova Esperança, Nova Londrina, Loanda, Ourizona, Paranavaí, Paiçandú, Paranacity, Peabirú, Presidente Castelo Branco, Quinta do Sol, São Carlos do Ivaí, São Jorge do Ivaí, São João do Caiuá, Sarandí, Terra Rica, Tamboara  e Uniflor.

Missãotoggle

Promover o equilíbrio das relações de trabalhadores por meio da ação judicial e fiscal, intermediação dos conflitos, apoio à geração de trabalho, emprego e renda e dar assistência ao trabalhador e cidadão, contribuindo para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária. 

Visão de Futurotoggle

Ser uma organização de excelência em gestão sindical e na prestação de serviços aos trabalhadores, atuando como instrumento efetivo de transformação positiva das práticas sindicais e sociais.

Valorestoggle
-Excelência no atendimento aos trabalhadores;
-Ética no serviço sindical;
-Correta aplicação dos recursos que são provenientes dos trabalhadores;
-Eficiência e eficácia na prestação dos serviços sindical;
-Bem-estar e total satisfação dos trabalhadores e colaboradores;
-Participação dos trabalhadores e da sociedade civil organizada no planejamento e controle das ações;
-Contribuir para transformar a prática social e moral. 
Objetivotoggle
-Combater o índice de Informalidade no mercado de trabalho.
-Erradicar a mão de obra terceirizada no grupo da alimentação.
-Melhorar as condições de trabalho quanto à segurança e saúde e meio ambiente do trabalhador.
-Promover o trabalho decente e erradicar o trabalho infantil e mão de obra escrava.
-Estimular a participação da sociedade e trabalhadores no processo da Reforma Trabalhista e Sindical.
-Aperfeiçoar os mecanismos de gerenciamento, controle e avaliação das práticas de mediação de conflitos nas relações do trabalho.
-Garantir a publicidade e o acesso às Convenções Coletivas de Trabalhos acordadas.
-Otimizar o processo de atendimento aos trabalhadores.
-Modernizar e otimizar o processo jurídico em relação a falências, concordatas, arrestos, ações trabalhistas.
-Disseminar, junto aos trabalhadores e a sociedade, informações relevantes sobre Legislação Trabalhista, Piso Salarial da categoria, ações sindicais junto as empresas e trabalhadores.
-Promover ações de capacitação, qualificação e de geração de emprego, trabalho e renda, junto ao trabalhador e sociedade.
-Fomentar oportunidades de trabalho baseadas na autogestão, cooperação e solidariedade.
-Garantir a satisfação dos trabalhadores do grupo da alimentação e da sociedade civil organizada sobre nossos objetivo e metas de prestação de serviços.
-Melhorar o atendimento e os benefícios aos trabalhadores do grupo da alimentação.
-Assegurar o compromisso, a satisfação e a qualificação dos trabalhadores.
-Estimular o exercício da cidadania por parte dos trabalhadores e da sociedade.
-Melhorar a gestão com base nos critérios de excelência.
 
-Manter e melhorar cada vez mais a imagem da instituição.
 
Fonte: FETIASP

Vídeo